09 setembro 2009

Carta de amor.


Se tem uma lágrima no meu rosto
Isso me arrepia até os ossos
Isso me faz tremer, querida
É apenas um cisco que caiu no meu olho
E você sabe: eu nunca choro, eu nunca choro...

Algumas vezes eu bebo mais do que preciso
Até a TV sair do ar
Eu posso ser solitário
Mas eu nunca estou sozinho
E a noite pode passar por mim, mas eu nunca choro

Arranque fora, arranque os meus olhos
Às vezes eu gostaria de ser cego...
Quebre um coração, quebre um coração de pedra
Abra-o, mas não o deixe solitário


Porque ele é a única coisa que tenho pra te dar
Acredite em mim, querida, ele nunca foi usado
Meu coração é virgem, e nunca foi tentado
E você sabe: eu nunca choro
E você sabe: eu nunca choro
E você sabe, e você sabe, e você sabe...
Eu nunca choro, eu nunca choro!

Quebre um coração, quebre um coração de pedra
Abra-o, mas não o deixe solitário
Porque ele é a única coisa que tenho pra te dar
Acredite em mim, querida, ele nunca foi usado
Meu coração é virgem, e nunca foi tentado
E você sabe: eu nunca choro!
Eu nunca choro!

2 comentários:

Rê in ventando disse...

To vendo que voltou a ativa durante a minha sumida né!?

Xonado de tudo?

Bommmmmmm... Muito bommmmm...

Beijosssss com calma coloco a leitura em dia.

Lana disse...

essa é do meu tempo!

hahahaha

beijoooooooo