20 julho 2008

Me explica aí, na moral...

(Este diálogo me sugere a situação lá pras bandas do Rio de Janeiro. A não ser que um pobre paulistano desavisado tenha chegado por lá).

- Aí, tu ta me olhando?

- O que?

- Perguntei se tu tá me olhando!

- Bom...tô.

- Por causa de que, parceiro?

- Porque você me virou e me perguntou se eu estava te olhando e nessa hora eu acabei te olhando...

- Quer dizer que tu não ta me olhando...

- Não estava...

- Eu perguntei "estava"?! Qual foi?

- Não.

- Não o que?

- Você não me perguntou "estava".

- Eu te perguntei "qual foi"!! Tu é surdo? Qual foi?

- Não sou surdo.

- Não perguntei se tu é surdo, perguntei "qual foi"!

- Olha...

- Cala a boca, quem olha aqui sou eu!

- Tudo bem.

- Como tudo bem? Se eu tô te olhando parceiro, é pra tá tudo ruim, tá ligado?

- Certo.

- Ta ligado ou não tá?

- Tô sim, irmão.

- Ae...nasci da tua mãe?

- Não.

- Sô filho do teu pai?

- Não.

- Tu é da merma cor que eu?

- Não.

- Então comé que tu me chama de irmão, irmão?

- Você acabou de falar irmão.

- Já falei pra tu não me chamar de irmão, irmão.

- Mas você falou...

- Cala a boca! Quem fala aqui sou eu! Tá ligado?

- Eu sei...

- Tá ligado?!

- Tô! Tô ligado!!!

- Tá crescendo a voz pra mim, parceiro?

- Não...

- Ah não?!?

- Tava...

- Ahh tava?!

- Desculpa, mas é que eu tô nervoso...

- Por causa de que?!

- Por sua causa...me desculpa...

- Ahhh...ficou nervoso de olhar pra mim né? Tava boladão?

- É...

- Fica assim não fiel...aqui nós é tudo irmão...

- Ta bom...

- Mas fica ligado!

- Valeu, parceiro.

- Quem tem parceiro é viado, fera...

- É que...

- Cala a boca!


Copiei do Emílio Dantas.

Um comentário:

Carla disse...

O relacionamento humano é, deveras, complicado!