08 janeiro 2008

Greg Friedler: A arte, nua e crua.

Clique na foto e conheça.


"Os modelos profissionais estão à vontade com o seu corpo; trabalham-no e estão habituados a mostrá-lo. Talvez por isso os fotógrafos os procurem: conhecem as poses, as expressões, os tiques; facilitam-lhes a tarefa. Mas nem só os corpos de homens e mulheres esculturais atraem os fotógrafos que, recentemente, parecem ter descoberto os corpos das pessoas comuns. Greg Friedler é um desses fotógrafos.

O que procura então um fotógrafo no corpo nu de uma pessoa comum, idosa ou desleixada, tão distante de uma Vênus ou de um Adónis mitológicos? Onde está a beleza, onde está a arte, onde está o pudor? Há algo de genuinamente belo numa nudez não ensaiada, espontânea, de alguém na sua intimidade e fragilidade. Muito mais do que o corpo aparece então nessas imagens que, filtradas pela objectiva de um bom fotógrafo, revelam um pouco da alma humana.

Provavelmente essa será a explicação para a resposta quase entusiástica de centenas de pessoas anónimas de todas as idades, raças e condições ao apelo de Greg Friedler para o seu próximo trabalho intitulado Naked Las Vegas, onde se propõe tirar duas fotografias a cada um dos voluntários residentes na cidade, uma em trajes normais, a outra nua, apresentadas lado a lado.

Este é o quarto trabalho que realiza com este teor. Precedem-no Naked New York, Naked Los Angeles e Naked London. É curioso o percurso do artista, um reputado fotógrafo de moda e de charme, que agora volta a sua atenção para aspectos mais conceptuais. E, tal como Friedler, outros fotógrafos da beleza e da nudez, talvez cansados de jogos formais, da arte pela arte, dos corpos de "plástico", viram-se também para o "conteúdo". Fenómeno de moda ou desencanto e manifesto numa sociedade que apregoa cegamente o culto do corpo?"




Copiado, literalmente, daqui.

2 comentários:

maristela disse...

sabe, lula. se não fosse pra ficar pelada, eu queria fazer umas fotos com esse moço. hehe.
bj

Carla disse...

Arte é arte e ponto final.
Bjo.