25 maio 2007

Um poema às mulheres que amam.




Tenho um coração
Dividido entre a esperança e a razão
Tenho um coração
Bem melhor que não tivera

Esse coração
Não consegue se conter ao ouvir tua voz
Pobre coração
Sempre escravo da ternura

Quem dera ser um peixe
Para em teu límpido aquário mergulhar
Fazer borbulhas de amor pra te encantar
Passar a noite em claro, dentro de ti

Um peixe
Para enfeitar de corais tua cintura
Fazer silhuetas de amor à luz da lua
Saciar essa loucura, dentro de ti

Canta coração
Que esta alma necessita de ilusão
Sonha coração
Não te enchas de amargura

...

Uma noite para unir-nos até o fim
Cara-cara, beijo a beijo
E viver para sempre dentro de ti

24 maio 2007

Momento de sabedoria.

Parte 1 (Três peneiras)

Um rapaz procurou Sócrates e disse que precisava contar-lhe algo.
Sócrates ergueu os olhos do livro que lia e perguntou:
- O que você vai me contar já passou pelas três peneiras?
- Três peneiras?
- Sim. A primeira peneira é a VERDADE. O que você quer contar dos outros é um fato? Caso tenha ouvido contar, a coisa deve morrer aí mesmo. Suponhamos então que seja verdade.
Deve então passar pela segunda peneira: a BONDADE. O que você vai contar é coisa boa? Ajuda a construir ou destruir o caminho, a fama do próximo? Se o que você quer contar é verdade e é coisa boa, deverá passar pela terceira peneira: a NECESSIDADE. Convém contar? Resolve alguma coisa? Ajuda a comunidade? Pode melhorar o planeta?
E arremata Sócrates:
-Se passar pelas três peneiras, conte! Tanto eu, você e seu irmão nos beneficiaremos. Caso contrário, esqueça e enterre tudo. Será uma fofoca a menos para envenenar o ambiente e levar discórdia entre irmãos, colegas do planeta.Devemos ser sempre a estação terminal de qualquer comentário infeliz.


Parte 2 (Mentiras)



Advogado: - Esse processo é rápido.
Ambulante de Rua: - Qualquer coisa, volta aqui que a gente troca.
Anfitrião: - Já vai? Ainda é cedo!
Aniversariante: - Presente? Sua presença é mais importante.
Bêbado: - Sei perfeitamente o que estou dizendo.
Casal sem Filhos: - Visite-nos sempre; adoramos suas crianças.
Corretor de Imóveis: - Em 6 meses colocarão: água, luz e telefone.
Delegado: - Tomaremos providências.
Dentista: - Não vai doer nada.
Desiludida: - Não quero mais saber de homem.
Devedor: - Amanhã, sem falta!
Encanador: - É muita pressão que vem da rua..
Filha de 17 Anos: - Dormi na casa de uma colega..
Filho de 18 Anos: - Antes das 11 estarei de volta.
Gerente de Banco: - Trabalhamos com as taxas mais baixas do mercado.
Inimigo do Morto: - Era um bom sujeito.
Jogador de Futebol: - Vamos continuar trabalhando e forte.
Ladrão: - Isso aqui foi um homem que me deu.
Mecânico: - É o carburador.
Muambeiro: - Tem garantia de fábrica.
Namorada: - Pra dizer a verdade, nem beijar eu sei...
Namorado: - Você foi a única mulher que eu realmente amei.
Noivo: - Casaremos o mais breve possível!
Orador: - Apenas duas palavras...
Pobre: - Se eu fosse milionário espalhava dinheiro pra todo mundo..
Recém-Casado: - Até que a morte nos separe.
Sapateiro: - Depois alarga no pé.
Sogra: - Em briga de marido e mulher não me meto.
Vagabundo: - Há 3 anos que procuro trabalho mas não encontro.
Viciado: - Essa vai ser a última.



Eu juro que não roubei do Leo.

22 maio 2007


Bom, fui agraciado (sic!) por um selo que indica qualidade de informação que faz pensar (sic! dinovo), pelo xuxu de minha cerca e por um novo amigo blogueiro, o Leonardo, que nos faz pensar, diariamente, que a vida vale a pena, em seus posts.


Pra variar, e como não podia deixar de ser, tenho que "selar" cinco amigos blogueiros que visito, fazem-me pensar e indico. Mas como fazer isso se visito todos quase sempre? Como resumir à cinco tudo de bom que tenho aí do lado? Todos tem uma forma de dizer coisas que me fazem pensar, rir, chorar!!!
...ô vida marvada!!!


Se tem que ser, lá vai:

Quelzinha: Seus posts sobre o cotidiano de sua vida, junto aos seus amores, ligados a sua arte, faz-nos pensar. E muito.


Cinderella: Que me faz recordar Sampa sempre que vou lá. Além de lindinha, é claro.


Bianca: A criadora de presentes que tem coisas lindas...(to aqui pensando: porquê ainda não encomendei uns dela?). Me aguarde.


Junior: (Vixe! Ele vai ficar bravo. Isso vai fazer ele sair de seu humor terrível e ter que amenizar as coisas um pouco. Só indo lá pra ver). E COMO FAZ A GENTE PENSAR!!


Peixe: Ele demora um pouco pra postar, mas quando posta me faz pensar, enquanto fico dando risada.


...e todos os outros aí linkados. Beijos pra todos.

21 maio 2007

DICIONÁRIO MINERÊS/PORTUGUÊS.


Procêis qui mora nuistadiminas e procêis quivencá asveiz.
(Ói qui bão sô... procês intende mió o minero, uai!)



PRESTENÇÃO - é quano eu tô falano iocê num tá ovino.
CADIQUÊ? - assim, tentanu intendê o motivo.
CADIM - é quano eu num quero muito, só um poquim.
DEU - omez qui 'di mim'. Ex.: Larga deu, sô!!
- fim de quarqué frase. Qué exêmpro tamem? : Cuidadaí, sô !!!
- omez qui 'pena', 'cumpaxão' : 'ai qui dó, gentch...!!'
NIMIM - o mez qui ni eu. Exempro: Nòoo, ce vivi garrado nimim, trem!... Larga deu, sô!!...
NÓOO - Num tem nada a vê cum laço pertado, não! omez qui 'nossa!..' Vem de Nòoosinhora!...
PELEJANU- omez qui tentanu: Tô pelejanu quesse diacho né di hoje, qui nó! (agora é nó mez!).
MINERIM - Nativo duistadiminnss.
UAI - Uai é uai, sô... uai!
ÉMÊZZZ?! - minerim querêno cunfirmá.
NÉMÊZZZ?! - minerim querêno sabê si ocê concorda.
OIAQUI - Minerim tentano chama atenção pralguma coizz...
PÃO DI QUEJU - Iosscêis sabe!... Cumida fundamentar qui disputa com o tutu a preferênça dus minêro.
TUTU - Mistura de farinha di mandioca (o di mio) cum fejão massadim. Bom dimais da conta, gentch!!..
TREIM - Qué dize quarqué coizz qui um minerim quizé! Ex "Já lavei us trem!", Qui trem bão!!
NNN - Gerúndio du minereis. Ex: 'Eles tão brincannn', 'Ce ta innn, eu to vinnn...'
BELZONTCH - Capitár dustado.
PÓ PÔ - umez qui pó colocá
POQUIM - só um poquim, pra num gastá muito.
JISGIFORA - Cidadi pertin du Ridijanero. Cunfunde a cabeça do minerim que si acha qui é carioca.
DEUSDE - desde. Ex: 'Eu sô magrelin deusde rapazin!'
ISPÍA - nome da popular revista 'VEJA' .
ARREDA - verbu na form imperativ (danu órdi), paricido cum saí. 'Arredaí, sô!'
IM - diminutivo. Ex: lugarzim, piquininim, vistidim, etc.
DENDAPIA - Dentro da pia.
TRADAPORTA - Atrás da porta.
BADACAMA - Debaixo da cama.
PINCOMÉ - Pinga com mel.
ISCODIDENTE - Escova de dente.
PONDIÔNS - Ponto de ônibus.
SAPASSADO - Sábado passado.
VIDIPERFUM - Vidru di perfume.
OIPROCÊVÊ (ou OPCV) - óia procê vê .
TISSDAÍ - Tira iss daí.
CAZOPÔ - Caxa disopor.
ISTURDIA - Otru dia.
PROINOSTOINO? - pronde nós tamo inu?
CÊSSÁ SÊSSE ONS PASNASSAVASS? - ocê sabe se esse ônibus passa na Savassí?



Purimeiu, da Camilla.