14 abril 2007

Sabadão em Bélzonte.

Hoje eu fui com minha neguinha ao Mercado Central, aqui de BH; compramos o que precisava e aproveitamos pra tomar àquela cervejinha gelada tão famosa de lá. É claro que o Luquinha ficou só na coca-cola que ele não é besta, já que a porrada dói. O mercado Central de BH é famoso por sua diversidade de oferta, tem de mortadela e queijos à galo vivo, acreditem, só vendo pra crer. Você fazendo compras e o galo cantando la pras bandas dos animais, verdadeiro zoológico. Aos poucos vou tomando conhecimento de tudo por aqui, cidade quase insuficiente pra quem foi nascido e criado na capital de São Paulo. Ainda me habituo com tudo, já que com quem eu tinha que me habituar, ja me habituei.
E assim será. Amém nóis tudo.

13 abril 2007

LIÇÃO DE VIDA.

(é ótima)

O mendigo maltrapilho entra no bar e pede a um freguês que lhe pague um café.
Com pena, o cara lhe oferece uma cerveja.
O mendigo diz: - Não obrigado, não bebo, só quero o café.
O rapaz se oferece para comprar um bilhete de loteria.
- Não obrigado, eu não jogo, só quero o café.
Com toda gentileza, o rapaz lhe oferece um cigarro.
- Não fumo, eu só quero o cafezinho mesmo - recusa o mendigo.
Penalizado, o rapaz diz que lhe paga uma noitada com uma prostituta.
- Não obrigado, eu não traio minha mulher, só quero um café, só o café.
Então o rapaz leva o mendigo para sua casa e diz para a mulher lhe preparar o melhor café do mundo.
Curiosa, ela pergunta ao marido:
- Por que você trouxe esse mendigo sujo, fedido, para tomar café aqui em casa?
- Ele merece. É uma verdadeira lição de vida que você vai aprender. Eu o trouxe para te mostrar como fica um homem que não bebe, não joga, não fuma
e não dá uma trepadinha fora de vez em quando.




Por email, dela.

09 abril 2007

Seja magra...e sonhe.

Feliz segundona.




Amit era um alto funcionário da corte do Rei Akbar.

Há muito tempo nutria um desejo incontrolável de chupar os voluptuosos seios da rainha, até se fartar. Todas as vezes que tentou, porém, deu-se mal.
Um dia, ele revelou seu desejo a Birbal, principal conselheiro e advogado do Rei, pedindo que ele fizesse algo para ajudá-lo. Birbal, depois de muito pensar, concordou, sob a condição de Amit lhe pagar mil moedas de ouro, e ele aceitou o acordo.
No dia seguinte, Birbal preparou um líquido que causava comichões e derramou no sutiã da rainha, que o deixara fora enquanto tomava banho.
Logo a coceira começou e aumentou de intensidade, deixando o rei preocupado. Médicos de todo o reino foram chamados, mas nada resolveram.
Birbal então disse ao Rei que apenas uma saliva especial, se aplicada por quatro horas, curaria aquela espécie de coceira. Birbal também disse que essa saliva só poderia ser encontrada na boca de Amit.
O Rei Akbar ficou muito feliz e então chamou Amit e ordenou-lhe o ato, sob pena de que, se não o fizesse, seria decapitado.
Então, pelas quatro horas seguintes, Amit fartou-se em chupar com vontade os suculentos e deliciosos peitões da rainha. Lambendo, mordendo, apertando e passando a mão, fazendo o que sempre desejou.
Satisfeito, ele se encontrou depois com o advogado Birbal que queria receber os honorários combinados.
Com seu desejo plenamente realizado e sua libido satisfeita, Amit se recusou a pagar ao advogado e, ainda por cima, zombou de sua cara, pois sabia que Birbal nunca poderia contar o fato ao rei.
Mas Amit havia subestimado o Advogado Birbal.

No dia seguinte, Birbal colocou o mesmo líquido na cueca do rei.

Moral da História: Você pode ficar devendo pro mundo inteiro, até pro capeta! Mas nunca, nunca mesmo, pense em dever para um Advogado.