17 agosto 2006

A flor e a borboleta.


Eu sei que você vem.
Você sabe que eu vou.
Eu sei que você tem,
Toda a ternura do amor,
Sei também que às vezes voa
Em pensamentos de dor.

Você sabe que eu sei,
Em pouco vôo uníssono,
Num passado não tão longe,
Que até houve amor.

Eu sei que você vem!
Sem marcas ou palavras
Mas eu sei que você vem.
E isso eu sinto por dentro,
Nem precisa me dizer,
Quando vejo teu sorriso,
Que você sabe que adoro,
Eu sei que você pensa,
Lá num cantinho do ser,
Em quem te fez sofrer.

Decepção, desencanto?
Não é disso que vivem dois?
Eternamente, entretanto,
Reconciliam-se depois.

Eu sei que você vem,
Assim como sabe que vou,
É prova suficiente,
Inconteste a verdade,
Das delicadas escamas que ficam,
Das asas da borboleta,
Sobrevoando por tudo,
De que você ainda sente
Um pouquinho de saudade.

Não queira ser diferente
Da mulher que sei que é,
Alce vôo ame sempre,
Beije as flores, sugue o mel.

Borboleteie, siga em frente,
Na certeza que num passado,
(Não tão distante assim),
Alguém ainda sente,
Da decisão que tomou,
Em destruir um sonho ardente.
AME!
AMO,
A MA THE.
AMEM.

(From Me To You).

6 comentários:

Carla disse...

Lindo, lindo, lindo!!! Tô até com a inveja da felizarda!!!

junior disse...

Lula, que lindo meu, isso que amore heim?

Re_Ventani@ disse...

From Lula to her...

Conta, conta pra nós....

Ok! Não pergunto mais nada.

Beijussssssss

Fabi disse...

Caraca, que lindo...
Minha angústia tá até passando.
Beijos!!

p.s Linkando, ok??

ajornalistabh disse...

oi lula!!!
nossa, que lindo poema
ah, eu amo as borboletas, pelas cores, por alçarem vôos tão bonitos
e relacionar isso ao amor é com certeza uma obra de arte
beijos

Cinderella disse...

Que lindo, Lulinha!!
Gostei!

Eu sou uma das que possuo borboletas no estômago!