26 junho 2006

São Paulo e Rio disparam no ranking das cidades mais caras do mundo.

Globo Online

NOVA YORK - A vodka pode ser barata, mas de acordo com a última pesquisa sobre custo de vida da Mercer Consulting, Moscou agora ocupa o lugar de cidade mais cara do mundo, superando Tóquio, que se manteve no topo da lista durante quatro anos seguidos.

Ano passado, a capital russa estava em quarto lugar no ranking, mas subiu por conta de poucos fatores, de acordo com a consultora Rebecca Powers. As moedas de Tóquio, Osaka e Londres, as três mais caras na lista de 2005, registraram queda em relação ao dólar, enquanto o rublo russo permaneceu estável.

O enfraquecimento do iene em relação ao dólar levou Tóquio ao terceiro lugar no ranking, atrás de Seul. Osaka, por sua vez, ficou em sexto lugar.

Enquanto isso, Londres permaneceu na quinta colocação, sendo a segunda cidade mais cara da Europa, atrás de Moscou. Em seguida vem Genebra, na sétima colocação.

Na América Latina, São Paulo e Rio de Janeiro são as que apresentam maior custo de vida, ocupando o 34º e 40º lugar na lista, respectivamente. Ambas deram um salto, já que no ano passado estavam em 119º e 124º, respectivamente.

Na Ásia, as mais caras são Seul, Tóquio e Hong Kong.

A pesquisa usa Nova York, em 10º lugar, como sua base, classificando-a como 100. A partir daí, a pesquisa compara preços de mais de 200 itens, inlcuindo moradia, aparelhos domésticos, alimentação, entretenimento e transporte em 144 cidades de todo o mundo.

Segundo a pesquisa da Mercer, nos EUA, as cidades mais caras são Nova York, Los Angeles (29º), São Francisco (também em 34º) e Chicago (38º).

As cidades mais baratas do mundo são Assunção (Paraguai), Harare (Zimbábue), Buenos Aires (Argentina), Manila (Filipinas), Karachi (Paquistão), Bangalore (Índia) e Montevidéu (Uruguai).

Um comentário:

Carla disse...

Tenho que ir para a cidade mais baratinha então...