19 maio 2006

Pediram?

Independent classifica PCC como 'um desafio para Lula'


Agência Estado
11:13 16/05

Em edição especial, editada pelo músico do grupo U2 e ativista Bono, o jornal britânico The Independent publica hoje um editorial intitulado "Um desafio para Lula", no qual analisa a onda de violência que varreu São Paulo nos últimos dias e alerta que o otimismo com as perspectivas do Brasil poderão ser reduzidas. Metade do dinheiro arrecadado com a edição especial do Independent, chamada de 'Red', será destinada ao combate à Aids na África.


Leia abaixo o texto:

O jornal observa que o Brasil é geralmente considerado o mais promissor dos países BRIC, grupo que inclui também Rússia, Índia e China. A Rússia se vê diante de uma crise demográfica e sua democracia vacilante. A Índia é contida por um sistema de castas que alimenta a pobreza, e a China "pela desigualdade de seu desenvolvimento e a crescente tensão social".
No entanto, afirma o editorial, o Brasil parece ter quase tudo que é necessário para se tornar nas próximas décadas uma potência. As reformas econômicas nos anos 90 trouxeram estabilidade comparando-se aos altos e baixos enfrentados pelo país no passado. A ampla vitória eleitoral do presidente Lula em 2002 foi "uma vitória da democracia do Brasil e deu esperança aos pobres do País". E, "ao invés de desestabilizar o país com corrida acelerada para reforma radical, Lula, sabiamente, gravitou em torno do centro, prometendo gerenciamento sólido da economia".
Mas o editorial do Independent alerta que se os eventos dos últimos dias em São Paulo são um sinal do que está por vir "parte do otimismo terá que ser podado". O jornal observa que, inicialmente, a violência foi atribuída a ação de gangues criminais, enfurecidas pela remoção de presos para presídios de alta segurança. "Entretanto, com os dias passando sem alívio, seria difícil não ver a violência sob uma luz política", disse. "Em escala, ferocidade e escolha de alvos, esses assaltos coordenados apresentaram um desafio direto para a autoridade do Estado."
O editorial afirma que "nenhum estado moderno merece esse nome" se pode ser mantido refém por indivíduos ou grupos que operam fora da lei. "Mas o presidente Lula estava parcialmente certo quando disse que a violência é resultado, principalmente, da desigualdade social e da falta de investimento em educação. "Esses fatores, no entanto, são algozes que podem ser apenas resolvidos no longo prazo", disse. "Enquanto isso, ele (Lula) poderá ser ver cada vez mais enroscado por reformas que progridem lentamente demais para o pobre e rapidamente demais para o rico, incluindo as gangues que se alimentam de seu dinheiro."
A edição Red traz também artigos de várias personalidades envolvidas no combate à miséria mundial, como o ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela, e o músico e ativista Bob Gedolf. A capa do jornal, com uma ilustração do artista plástico Damian Hirest, traz a manchete "Sem notícias hoje".

Nenhum comentário: